Sofrimento por Jesus

Seguir a Jesus requer disposição para sofrer por ele, e suportar a perseguição é a maior honra imaginável em seu reino.

Retaliação e violência não são reações corretas à hostilidade e perseguição para os discípulos de Jesus. Em vez disso, devem enfrentar ameaças e agressões com humildade, misericórdia e perdão. Isto é o que significa “negar-se a si mesmo”, “tomar a sua cruz” e segui-lo aonde quer que ele conduza. Fazer o bem ao “inimigo” é contrário à “sabedoria deste século”, mas fazer isso é como nos tornamos “perfeitos como o Pai Celestial.”

“Carregar a cruz” é uma imagem adequada de suportar o sofrimento injusto por causa dele. Quando as autoridades romanas condenaram um homem à crucificação, Ele foi forçado a carregar a trave na qual seria pendurado até o local da execução, assim como Jesus fez em sua caminhada final até o Gólgota. Isso humilharia ainda mais o condenado (“que pela alegria que lhe foi proposta suportou a cruz, desprezando a vergonha”).

Cross beach - Photo by Pete Godfrey on Unsplash
[Cruz foto por Peter Godfrey em Unsplash]

Em contraste gritante com os caminhos deste mundo, Jesus ensinou Seus seguidores a “
regozijar-se e saltar de alegria” sempre que “os homens te odeiam, e te rejeitam, e te profanam, e tratam o teu nome como mal, por causa do Filho do Homem.” Discípulos maltratados por causa de seu compromisso com Jesus são especialmente “abençoados.” É por isso que devemos “exultar muito” quando perseguidos, uma vez que “grande é a nossa recompensa no céu” - (Mateus 5:10-12).

Suportando fielmente as provações, imitamos Jesus. Assim como seus inimigos abusaram dele, também os inimigos da Cruz maltratam indivíduos que ousam seguir os ensinamentos e o exemplo do Nazareno.

Permanecer fiel através de perseguições e tribulações é como sua Assembléia vence o “Grande Dragão Vermelho”, Satanás, e seus vassalos terrenos. “Eles o venceram por causa do sangue do Cordeiro, e por causa da palavra do seu testemunho, e não amaram a sua vida até a morte.” Isso pode ser contra-intuitivo, mas também é bíblico – (Ap 12:11).

Após Sua Ressurreição, seus discípulos levaram essas instruções a sério. Quando Pedro foi levado perante o Sinédrio e ordenado a cessar de pregar, em vez de se render à ira e ao ódio, ele seguiu seu caminho “regozijando-se por ter sido considerado digno de sofrer desonra pelo nome.”

Em outra ocasião, depois de serem abusados e presos, Paulo e Silas passaram a noite “orando e cantando hinos a Deus” de sua cela de prisão, e não amaldiçoaram seus perseguidores nem invocaram a ira de Deus sobre eles - (Atos 5:41, 16:23-25).

Jesus deu o exemplo supremo de suportar sofrimentos injustos. Como Isaías profetizou, o “servo do Senhor” estava “oprimido e aflito, mas não abriu a boca.” Ele não “brigou ou chorou alto, nem ninguém ouviu sua voz nas ruas. Ele não quebrou um junco machucado nem apagou um pavio fumegante.” Jesus o Nazareno não foi um revolucionário violento ou político! - (Isaías 53: 7).

SEU EXEMPLO


Jesus nos instruiu a “amar nossos inimigos e orar por eles que nos perseguem.” Ele foi o único homem verdadeiramente justo que já viveu. Se alguém merecia respeito pelos seus “direitos” individuais, ele merecia. No entanto, em vez de exigir seus privilégios, ele veio “para servir e dar sua vida como resgate por muitos.”

Isso ele fez sofrendo uma morte horrível pelos outros. Não só isso, mas ele escolheu morrer por eles quando eles eram “ainda inimigos de Deus.” Conformar - se a esse padrão é como nos tornamos “grandes” em seu domínio - (MT 20:28; Rm 5:10).

Quando uma multidão armada prendeu Jesus, Pedro desembainhou a espada e “feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita.” No entanto, Jesus fez o inesperado. Em vez de fugir ou juntar - se a Pedro na defesa de seus “direitos” ou amaldiçoar seus perseguidores, ele o repreendeu, ordenou-lhe que embainhasse sua espada e curou o ferido que fazia parte da multidão que vinha prendê-lo - (Jo 18:10-12).

Interrogado, espancado e injuriado perante o sumo sacerdote, Jesus não Injuriou em troca. Enquanto morria na cruz, Ele orou para que seu pai “os perdoasse, porque não sabem o que fazem” - (Mateus 27:39, Marcos 15:32, Lucas 23:34).

Oposição é algo que os discípulos devem esperar e suportar fielmente e com graça. Sofrer por Jesus é uma grande honra, uma questão de regozijo ao invés de raiva ou desespero. Hoje, por meio de protestos ruidosos e maquinações legais, podemos evitar a perseguição; no entanto, ao fazê-lo, também podemos nos roubar algo de valor infinitamente maior do que uma vida confortável, mas temporária.

Pensamos como este mundo pensa quando insistimos que outros homens e governos devem respeitar nossos invioláveis “direitos” civis, mas isso vai contra os ensinamentos do Novo Testamento sobre discipulado, misericórdia e sofrimento por causa de Jesus e dos outros.

O homem que seria seu discípulo deve diariamente “tomar a sua cruz e seguir” o mesmo caminho que Jesus fez. Não fazer isso tornará o indivíduo indigno do “Reino de Deus.” Para se tornar maior em seu reino, o discípulo deve primeiro se tornar o “escravo de todos”. A cruz significa negar a si mesmo aquilo que é seu por direito e suportar sofrimentos injustos e perseguições imerecidas quando chamado a fazê-lo.

Em contraste com as ideologias e sistemas políticos da era atual, o Reino de Deus oferece aos seus cidadãos o privilégio muito maior do serviço abnegado pelos outros e a altíssima honra de suportar insultos, ódio e até perseguição por causa de Jesus. As recompensas por fazer isso na era por vir superarão em muito quaisquer perdas nesta vida presente.



POSTS RELACIONADOS:
  • Carrying his Cross {English} - (To follow Jesus, we must be willing to suffer for his sake, and enduring persecution is the highest honor in his Kingdom)
  • A Estrada Cruciforme - (Jesus proclamou uma nova realidade política, o Reino de Deus, e tem pouca semelhança com os regimes políticos e ideologias do mundo)
  • Servo do Senhor - (Paulo convocou os crentes a adotarem a mesma mente que Jesus tinha quando derramou sua vida até a morte pelos outros - Filipenses 2:5-11)

{Publicado originalmente em inglês no site Finished Word}

Comments

POPULAR POSTS

Ekklésia - Assembly of God

Going on to Perfection