O Espírito da vida

O dom do Espírito é a evidência clara de que uma pessoa foi justificada por Deus e fez parte de seu povo da aliança. Na Galácia, “falsos irmãos” estavam pregando “outro evangelho”, um que afirmava que os gentios deveriam ser circuncidados para “completar” sua fé. Paulo não queria nada disso, e apelou para a presença do Espírito entre os gentios incircuncisos como prova positiva de sua justificação e aceitação por Deus.

Como os crentes gentios já haviam recebido o dom do Espírito, acrescentar a circuncisão não realizaria nada. “Você é tão tolo? Tendo começado no espírito, você agora será feito completo na carne?” – (Gálatas 3: 1-5).

Raging River-foto de hp koch no Unsplash
[Raging River-foto de hp koch no Unsplash]

Jesus redimiu seus santos da maldição da lei para que a “
bênção de Abraão viesse sobre os gentios por meio dele, e nós recebêssemos a promessa do Espírito pela fé”, e assim, Paulo ligou o espírito com a bênção prometida de Abraão para as nações - (GL 3:6-14, GN 12:1-3).

A legislação mosaica não era contra a promessa, mas seu propósito nunca foi justificar os homens diante de Deus. Foi acrescentado depois da aliança abraâmica para expor o pecado pelo que ele é - a “transgressão” dos mandamentos de Deus. Não pode justificar ninguém, pois a lei “não pode vivificar”, ao contrário do espírito vivificante.

É o Espírito que dá vida, e Paulo apresenta “ser vivificado” pelo Espírito como sinônimo de ser “justificado pela fé.” É o Espírito que dá a vida, e não há vida eterna ou perdão dos pecados sem ser justificado pelo Deus vivo - (Gálatas 3:21).

Este princípio é atestado em outras partes do Novo Testamento. “É o espírito que vivifica!” O Espírito daquele que ressuscitou Jesus dentre os mortos também “vivificará nossos corpos mortais pelo seu espírito que habita em nós” quando Jesus “chegar sobre as nuvens do céu” - (João 6:63, Romanos 8:11-23).

A letra da Lei mata, mas sob a nova aliança, o Espírito “vivifica” o povo de Deus. Jesus foi morto “na carne” em nosso favor, mas “feito vivo o em espírito.” Ter a mente carnal é morte, “mas ter a mente espiritual é vida e paz.” A vida e o Espírito são inseparáveis - (RM 8:11; 2Co 3:6; 1PE 3:18).

O espírito de Deus transmitiu a vida quando criou o universo.  A terra era “sem forma e vazia”, mas o “espírito de Deus pairava sobre a face das águas.” Vários dos Salmos destacam este poder vivificante do Espírito, por exemplo, “pela Palavra de Yahweh, os céus foram feitos, e pelo Espírito da sua boca, todo o seu exército” - (Gênesis 1:1-3, Jó 33:4. Salmo 33:6, 104:29-30).

O ESPÍRITO VIVIFICADOR


O espírito de Deus não apenas transmite a vida, mas também faz com que ela seja abundante. Yahweh prometeu “derramar água sobre o sedento, e inundações sobre a terra seca, para derramar o seu Espírito sobre a semente do homem e a minha bênção sobre a sua descendência” - (Isaías 44:3).

No Livro de Ezequiel, Deus prometeu que ele iria “aspergir água limpa” para limpar Israel de sua impureza e dar a seus filhos novos corações, e ele iria colocar o seu espírito neles e, assim, estabelecer a sua “aliança eterna” - (Ezequiel 36:16-38).

Paulo aplicou essa promessa à Assembléia em Corinto. “Mas uma confiança como essa Nós temos através de Cristo para com Deus. Não nos basta o de nós mesmos, para considerar qualquer coisa como de nós mesmos, mas a nossa suficiência vem de Deus, que também nos fez suficientes para sermos ministros de uma nova aliança, não de letra, mas de espírito, porque a letra mata, mas o Espírito vivifica” - (2 Coríntios 3:3-6).

O Espírito ou “sopro de Deus” cria, sustenta e restaura a vida, tanto individual quanto corporativamente, biológica e também espiritual, e a retirada de seu Espírito significa a cessação da vida, ou seja, a morte.

Deus prometeu a restauração de Israel quando purificasse seu povo e inaugurasse a Nova Aliança, então sua presença habitaria entre eles.  Essa promessa foi feita na Lei Mosaica, mas o pecado da nação impediu a sua realização - (Levítico 26: 12 – “andarei no meio de vós e serei o vosso Deus, e vós sereis o meu povo”).

Ventos - Foto de Jarom Louboutr Kavan no Unsplash
[Ventos - Foto de Jarom Louboutr Kavan no Unsplash]

Na Nova Aliança, essa promessa é atualizada por Jesus através de sua morte e ressurreição e, portanto, ele foi exaltado como o soberano sobre todas as coisas, aquele que batiza – “
imerge” - seu povo no espírito, proporcionando-lhes vida abundante e capacitando-os a dar testemunho diante das Nações.

O recebimento do Espírito pelos crentes é a prova indiscutível de sua aceitação e justificação por Deus, e de quem herdará a vida eterna e quem não herdará. É o seu espírito que cria, sustenta e restaura a vida; portanto, não há vida ou salvação verdadeira e duradoura além da presença e atividade do Espírito Santo - (Jo 1:14; Cl 2:9-10; Ap 21:3; 21:22).



POSTS RELACIONADOS:
  • Salvação para todas as nações - (O Evangelho do Reino anunciado por Jesus de Nazaré oferece salvação e vida aos homens e mulheres de todas as nações e povos)
  • O Espírito Vivificante - (Não há vida sem o espírito de Deus-Seu Espírito cria, anima, sustenta e restaura toda a vida)
  • Jesus é o seu nome - (O nome Jesus significa 'Yahweh salva.' No Nazareno, a salvação prometida a Israel chegou em toda a sua glória)


Comments

POPULAR POSTS

Ekklésia - Assembly of God

The Mission